Carta à minha mãe.

Querida Mãe

Eu sou a tua filha e tu és a minha mãe.

Tu e o pai casaram muito jovens, na flor da idade e estavam muito apaixonados. Eu nasci, fruto desse amor. Que bem soa no meu coração… 

A tua luta pela vida começou logo muito cedo, mesmo na altura do meu nascimento foi uma situação crítica, mas tu enfrentaste o perigo de vida e conseguiste sobreviver e desde aí, tens estado ao meu lado, mesmo com todas os desafios que tens enfrentado. Tens sido e és uma Grande Mulher,  querida mãe. A vida já te desafiou muitas vezes e tens conseguido encontrar as soluções necessárias, às vezes quando nada parecia ser possível, tu tornas possível. Eu honro-te!

Muito grata mãe, muito grata pela vida que me passaste, pelo teu exemplo de força e por tudo o que me tens dado, tem sido muito. Graças a ti, sinto a prosperidade e tenho recebido muitas lições de vida, as necessárias que eu precisava para aprender, mãe.
Agora, desde a minha adulta, digo sim, a tudo como foi e é. Esse Sim à vida como ela é e se apresenta.

Sinto muito mãe , se  muitas vezes desde o alto das minhas expetativas de quase pefeição,  exigi de ti o que não te era possível mãe, sinto muito se em muitos momentos queria que tivesses sido diferente ou até me senti superior, como forma de fuga do que a vida me propunha viver. 

Por favor, sente-te liberta de qualquer exigência ou expetativa da minha parte. Eu liberto-te. Não precisas de ser ou fazer nada diferente, está tudo certo da maneira que foi e que é. És a mãe perfeita para mim.Obrigada mãe, pela vida que tu e o pai me deram e também por tudo o que recebi. Foi bastante e chegou. Se chegou! Eu sei, eu sou a pequena e vocês são os grandes. É muito bom ficar neste lugar de pequena perante a Vossa grandeza. 

Muito grata, tua filha Nídia 

 

Visitas:629
Revisión general
5 estrellas
SUMMARY
5.0

4 comentários em “Carta à minha mãe.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *